Arco misterioso



  Que vivemos em uma época em que tudo é corrido e muitas vezes não prestamos atenção nas coisas que acontecem ao nosso redor não é novidade, a expansão de uma cidade na última década faz com que todo seu arredor se modifique, ficam antigos referenciais, mas no entorno tudo é novo, desconhecido e estranho de uma maneira assustadora..
  Quem tem o costume de passar longos períodos em casa (não é meu caso), certamente irá se surpreender com a nova ordem urbana de uma cidade como Osasco, um verdadeiro canteiro de obras, um emaranhado vertical que surge em áreas antes ermas, mesmo que próximas ao centro, o próprio centro se reinventou nos últimos anos, a construção do complexo que irá englobar toda administração municipal, o feio e cinzento Largo de Osasco, uma obra sem vida, um falso terminal. O calçadão da Antônio Agu com o piso remodelado e as belas palmeiras que se tornam vítimas das enchentes em épocas de chuva, uma grande obra da engenharia de boteco, que termina na estação de Osasco, uma obra inacabada, ou seria uma obra pós-moderna, da qual nós meros mortais não somos capazes de compreender?
  Há algumas semanas atrás algo estranho aconteceu. Estudante de jornalismo, não querendo me gabar, mas um ótimo observador, fui pego de surpresa por uma destas mudanças que acontecem de uma hora para outra. Era uma quarta-feira, precisava resolver assuntos inerentes a uma pauta, por isso encontraria com uma amiga e colega de faculdade para debater e encaminhar aquele roteiro impossível. Nos encontramos ainda no terminal Vila Yara e seguimos em direção ao Shopping Continental, na divisa com a cidade de São Paulo. Conversamos distraídos, atravessamos a Avenida dos Autonomistas, atravessamos a rua paralela e já próximos ao gradil do shopping olhamos juntos para o limite de munício, local em que a Avenida Corifeu de Azevedo Marques encontra-se com a Autonomistas.
  Foi um breve momento de pensamentos vagos, afinal estivemos ali na segunda-feira anterior, não passamos pelo local na terça-feira, dia em que não temos aula, foi no momento que eu disse: "Angela (conheça o blog dela) aquele arco não estava ali na segunda", logo em seguida ela responde: "realmente não estava e isso é estranho". Seguimos em direção ao shopping em meio a uma conversa descontraída sobre teorias que explicassem o surgimento repentino daquele portal de entrada/saída da cidade de Osasco, um arco de concreto gigante pintado de verde e vermelho que surgiu praticamente do nada, todo dia me pergunto, foram os alienígenas? Ou que tipo de bruxaria é essa?
(Atualização 23/06/2017: o arco é iluminado com fitas de led).

Comentários

Postagens mais visitadas