Transporte público em Osasco, um teste de paciência

 
Ônibus das duas empresas que controlam o trasporte público em Osasco, Viação Osasco em primeiro plano, Urubupungá logo atrás.
  Pode parecer piada de primeiro de abril, mas o fato é que a Viação Osasco, uma das duas empresas de transporte público de Osasco parece ter pregado em seus passageiros que dependem das linhas 002 e 008 no último dia da mentira. É extremamente ridículo um tempo de espera superior a 40 minutos para conseguir ir para casa utilizando o transporte público, aliás um serviço péssimo, linhas que atendem bairros populosos e passam por outros bairros igualmente habitados que em dias úteis têm um intervalo médio de 20 minutos, falo sobre as duas linhas citadas. Outras linhas que atendem localidades mais próximas, porém também com grande número populacional partem a cada dez minutos em média, o problema real, quanto mais longe do centro maior será o tempo de espera, a linha percorrerá outros bairros amplamente atendidos, a redundância que será abordada à frente e claro o mau-humor de alguns funcionários que não respondem um simples cumprimento educado.
  Osasco é uma cidade com pouco mais de 700 mil habitantes e que cresceu muito nas últimas duas décadas, crescimento desordenado, vias que não comportam o número de carros que nelas circulam, problema agravado pelo transporte público que não cria novas linhas, as empresas apenas remanejam as já existentes seguindo cronogramas da prefeitura, a cidade cresce e junto com ela os trajetos dos coletivos. Um outro grande problema é a falta de integração entre os modais viários, se você precisa ir a um ponto específico da cidade e precisa de usar mais de uma linha para chegar, esqueça pagará integralmente todas as passagens, integração com trem? Nem pensar, mesmo a cidade sendo atendida por cinco estações da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), a integração foi utilizada como bandeira nas últimas cinco eleições municipais, três prefeitos diferentes e nada da promessa ser cumprida.
  Redundância é a definição sobre as linhas de Osasco, a grande maioria das linhas que partem do Vila Yara para os bairros da cidade irão passar pela Rua Primitiva Vianco, já os que seguem no sentido zona sul quase que em sua totalidade passarão pela Rua Antônio Agu, via por onde passam também a maioria dos ônibus municipais com destino ao terminal Vila Yara e algumas linhas intermunicipais, em horário de pico a grande quantidade de ônibus somadas aos carros e ao transporte escolar que atende os colégios instalados na região formam um verdadeiro caos em um logradouro tão estreito. Ao menos na zona sul a redundância segue por importantes vias nos bairros como é o caso da Avenida Gal. Pedro Pinho e João de Andrade, avenidas estreitas que demonstram mais uma vez a falta de planejamento urbano, afinal estão em áreas densamente habitadas.
Largo de Osasco, um grande ponto de parada, não um terminal.
  O valor atual da tarifa em Osasco é de R$4,20, valor que não condiz em nada com o serviço, ônibus montados em chassi de caminhão, suspensão feita por feixe de molas, nenhum conforto, nem mesmo ar-condicionado, nos dias quentes o ônibus lotado é um sofrimento. Sobre o estado de conservação da frota, ao menos nos ônibus da Viação Osasco não mostra indícios de ser muito boa, é normal ver ônibus sujos, sobretudo nas borrachas das janelas empoeiradas, rangidos são comuns a ônibus baseados em caminhões, mas existem pancadas secas que denunciam manutenção não muito rigorosa, é possível observar em alguns veículos sinais de infiltração na forração do teto com o papelão estufado e manchado, alguns veículos apresentam também um forte odor de queimado, indício de problemas na transmissão ou excesso de uso de freios, outro motivo pode ser falhas na operação por parte do motorista, aliás alguns pensam estar transportando mercadorias sem valor comercial e não pessoas.
  As empresas de ônibus de todo país não são autossuficientes, elas prestam um serviço público feito por meio de concessões, para isso recebem subsídios das prefeituras para garantir as gratuidades e as tarifas reduzidas como é o caso dos estudantes. Em Osasco o cidadão que precisar de transporte público em uma situação extrema e não tiver como pagar passará vergonha, os coletivos são dotados de câmera, mas o foco principal não parece ser a segurança, mas evitar caronas e humilhar passageiros com notas altas, precisam mostrar a nota para o dispositivo para que então o condutor abra a porta dianteira do veículo. Uma outra atitude desnecessária é o bloqueio da catraca quando um cartão de idoso ou de estudante passa no validador, o dispositivo deve ser liberado pelo cobrador, esse responsável por checar a identidade do passageiro, felizmente liberam a passagem sem maiores burocracias, quem viveu a época do passe escolar em papel lembra do constrangimento que alguns funcionários faziam o passageiro passar.
Terminal Amador Aguiar em destaque, entorno extremamente degradado.
  O transporte coletivo em Osasco é realmente um caos, não bastasse o serviço, os terminais são igualmente deploráveis, o Largo de Osasco não pode ser considerado um terminal, não há estrutura para isso e os ônibus que fazem seu ponto final/inicial ali são na verdade circulares, um verdeira aglomerado de pontos de parada em suma. O terminal Amador Aguiar, o famoso Vila Yara além de estar com sua operação acima do limite, a área no entorno completamente degradada, a Praça Rotary e a Praça Província Di Torino estão abandonadas e concentram usuários de drogas, mesmo com a presença de uma base da Guarda Cívil, o Bosque da Amizade é uma área verde abandonada, não é um parque, apenas uma grande área verde abandonada e cercada, talvez seria bem vinda uma revitalização e ampliação do terminal no local, já que o atual demonstra completo abandono.

Comentários

Postagens mais visitadas